Diagnóstico Por Imagem

A importância do diagnóstico por imagem para o clínico de pequenos animais
Dr. Pedro Marchan

Neste primeiro artigo, faremos uma breve explanação sobre o diagnóstico por imagem com ênfase à clínica de pequenos animais. Iremos abordar os métodos mais utilizados, sua importância no quesito técnico e empresarial, além de vantagens e desvantagens.

 

Introdução

A medicina de animais de companhia sofreu uma acentuada evolução nesses últimos 15 anos. Há 15 anos atrás, quando falávamos em clínicas e hospitais com aparelhos sofisticados de ultrassonografia, raios-x digitalizados, endoscopias e mesmo de tomografia computadorizada, conseguíamos pontuar os locais que tinham tal tecnologia. A medicina veterinária foi evoluindo, os animais foram migrando dos quintais para dentro das residências e tornaram-se membros da família, fenômeno denominado ‘humanização dos Pets’, e devido a isso, a necessidade de um diagnóstico preciso e fidedigno, sendo comum nos dias de hoje escutarmos de tutores a solicitação em realizar exames complementares das diversas esferas das especialidades, mesmo sem uma completa necessidade clínica / cirúrgica.

 

Os exames

O exame radiográfico e ultrassonográfico sem sombra de dúvida são exames de triagem e de acentuada rotina clínica. Normalmente clínicas e hospitais veterinários iniciam seu setor de diagnóstico por imagem com essas duas especialidades, e dentro da minha experiência e opinião é exatamente isso que deve ser realizado, posteriormente outras especialidades dentro da imagenologia podem ser ampliadas como tomografia computadorizada e as endoscopias. 

O exame radiográfico é um exame de fácil execução (com algumas exceções), rápido e muitas vezes esclarecedor. É fundamental para várias especialidades, tal como ortopedia, neurologia, gastrenterologia, pneumologia, oncologia etc.

Abaixo temos uma imagem radiográfica lateral direita de tórax (positiva e negativa) onde é possível visibilizar um quadro de metástase pulmonar.

 

 


 A ultrassonografia tem uma grande importância na medicina interna (abdominal), porém é possível realizar exames oculares, de crânio, de região cervical e torácica, articular, cardíaco, dentre outros. É um exame rápido, indolor, algumas vezes conclusivo e não invasivo, além de ser possível utilizar a ultrassonografia para auxiliar procedimentos invasivos com a realização de biópsias ecoguiadas.

Abaixo uma imagem de um exame ecográfico abdominal de vesícula urinária com cálculos.

 

Abaixo segue mais um exemplo do uso da ultrassonografia. É possível visibilizar um rim esquerdo de um paciente felino com perda da sua morfologia ecográfica, normalmente afecções crônicas no rim levam a estes achados.